Quando o assunto é a qualificação em Medicina Veterinária, a diversidade de opções pode confundir os recém-formados e até mesmo os profissionais mais experientes. 

 

Investir em capacitação constante, de fato, é uma necessidade imposta pelo mercado. Por outro lado, escolher o caminho que mais se adapta à área de atuação e à jornada pessoal de cada um pode ser um grande desafio. 

 

Nesse cenário, uma das principais dúvidas de profissionais do segmento é: afinal, qual a diferença entre especialidade e especialização veterinária?

Especialidade e especialização veterinária: qual a diferença? 

Distinguir “especialidade” de “especialização” é o mesmo que investigar a diferença entre o título de especialista e especializado nas diferentes áreas da Medicina Veterinária. 

 

Para ter uma especialidade no currículo (ou, em outras palavras, tornar-se um “especialista”), é preciso que o profissional faça uma prova específica de entidades ou colégios habilitados para conceder o título, conforme aponta o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV)

 

Por outro lado, a especialização permite o aprofundamento em um determinado tema através de cursos de um ou dois anos, cumprindo carga mínima de 350 horas. O objetivo central desse tipo de educação continuada é promover a atualização e capacitação do profissional, habilitando-o para se aperfeiçoar e/ou atuar em determinadas áreas de conhecimento. 

Tipos de Especialização: entenda as 3 possíveis modalidades 

Quando falamos em especialização veterinária, estamos nos referindo a uma categoria ampla que abarca 3 modalidades principais: 

  • especializações “propriamente ditas”;
  • residências médicas;
  • MBAs. 

As especializações propriamente ditas visam complementar, ampliar e aperfeiçoar os conhecimentos do profissional em uma área de atuação, cumprindo-se a carga horária mínima de 350 horas. 

 

Por sua vez, as residências médicas são uma modalidade de ensino de pós-graduação a nível de especialização (com o objetivo similar de incrementar os conhecimentos em um campo da Veterinária). 

 

A diferença, aqui, é que as residências contam com treinamento prático supervisionado, em carga horária que chega a 5700 horas (2 anos de duração). 

 

Os MBAs (sigla para Master of Business Administration) têm origem nos Estados Unidos e são tradicionalmente considerados mestrados profissionais, embora não sejam regulamentados no Brasil. 

 

Na prática, portanto, os MBAs se classificam como especializações, exigindo carga horária mínima de 350 horas. 

Pós graduação lato e stricto sensu em Veterinária: entenda 

 

Diante de tantas possibilidades oferecidas pela pós-graduação em Medicina Veterinária, é importante esclarecer outro ponto-chave para o assunto: a diferença entre lato e strictu senso, aplicada principalmente no âmbito da pesquisa. 

 

A categoria “especialização veterinária” (que envolve as residências, os MBAs e as especializações per se) é considerada lato sensu, ou seja, se dedica a formar profissionais especializados através de cursos de especialização em diferentes áreas do conhecimento.  

 

O stricto sensu (ou “sentido específico”,do latim) diz respeito à pós-graduação voltada à formação de pesquisadores em mestrados e doutorados

 

Nesse caso, os cursos geralmente exigem dedicação exclusiva e contam com ampla carga horária (média de 2 anos para o mestrado e 4 para o doutorado). Embora existam, no Brasil, mestrados e doutorados profissionais – com foco em atuação no mercado de trabalho -, a modalidade é pouco difundida. 

De maneira geral, a orientação da pós-graduação stricto sensu em Veterinária no país é a carreira acadêmica, que envolve a pesquisa e a docência nas universidades. 

 

Quais são as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária – CFMV? 

O título de especialista em Medicina Veterinária, concedido através de processo instituído pelas entidades habilitadas pelo CFMV, é regido por resolução oficial do órgão e exige pré-requisitos específicos por parte do profissional. 

 

Vale lembrar, inclusive, que o documento oficial determina que “é vedado o registro de título de especialista por entidade não credenciada pelo CFMV”

As especialidades reconhecidas são: 

 

  • Higienistas de Alimentos;
  • Radiologia;
  • Oftalmologia;
  • Patologia;
  • Cardiologia;
  • Clínica Médica de Pequenos Animais;
  • Acupuntura;
  • Dermatologia;
  • Oncologia;
  • Medicina Veterinária Intensiva;
  • Cirurgia Veterinária;
  • Anestesiologia;
  • Homeopatia;
  • Medicina Felina;
  • Medicina Veterinária Legal. 

Para consultar as entidades habilitadas para a concessão dos títulos, clique aqui!

Qual a carga horária  mínima exigida para obter uma especialidade? 

A Resolução n°935/2009 do CFMV estabelece que os cursos para obtenção de Especialidade Veterinária deve ter carga horária mínima de 500h, das quais 400h são dedicadas à área específica e 100h à atividade prática. 

 

Todo o cumprimento da carga horária não poderá ultrapassar os 36 meses. 

Devo investir em uma especialidade ou uma especialização veterinária? 

Como se poderia imaginar, não é uma pergunta de simples resposta! A decisão entre especialidade e especialização (ou mesmo entre residência e pós-graduação stricto sensu) dependerá da trajetória profissional e pessoal de cada um. 

 

É importante destacar, porém, que a obtenção de uma especialidade veterinária exige tempo de experiência prévia ou títulos específicos, sendo voltada para profissionais mais maduros no mercado de trabalho

 

Para se ter uma ideia, o médico veterinário precisa apresentar ao menos um dos seguintes documentos para realizar a prova de conhecimentos específicos para o título de especialista: 

 

  • certificado de curso de especialização na área específica, conferido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC ou entidades de especialistas; 

 

  • certificado de conclusão de Programa de Residência na área específica;

 

  • título de mestre na área específica, conferido ou revalidado por instituição ou programa de pós-graduação reconhecido pela CAPES/MEC; 

 

  • título de doutor na área específica, conferido ou revalidado por instituição ou programa de pós-graduação reconhecido pela CAPES/MEC;

 

  • para os candidatos que não possuem nenhum dos documentos acima, é obrigatória a apresentação de um memorial documentado que demonstre “de forma inequívoca sua experiência, há pelo menos 08 (oito) anos, na área da especialidade pleiteada e logre aprovação na prova de conhecimentos específicos”. 

 

Por outro lado, os cursos de especialização (quer se trate das especializações tradicionais, as residências ou os MBAs) já podem ser realizados pelos recém-formados, atuando como catalisadores profissionais para fornecer experiência e vivência prática. 

 

Nesse sentido, as especializações são bastante interessantes para complementar a educação acadêmica da graduação, incrementando os conhecimentos teóricos com a técnica tão necessária do dia a dia da profissão. Muitas vezes, inclusive, tais cursos são uma ótima porta de entrada para preparar futuros candidatos ao mestrado, ao doutorado e às próprias especialidades do CFMV. 

Conhecimento nunca é demais: considere também os cursos de atualização  

Na busca por se tornar um profissional mais completo e de destaque no mercado, incrementar conhecimentos e experiências é sempre uma opção acertada (observando-se, é claro, uma coerência com os objetivos e planos traçados pelo profissional). 

 

Nesse cenário, os cursos livres de atualização ou capacitação também são um ótimo caminho para ampliar a bagagem adquirida na graduação e incrementar o currículo, podendo ser realizados inclusive por estudantes

 

De curta duração, essas capacitações trazem flexibilidade para a rotina de profissionais e graduandos, abarcando inclusive a modalidade de ensino a distância (EAD). 

 

E então, gostou do conteúdo? Agora que você já esclareceu suas dúvidas sobre a diferença entre especialidade e especialização veterinária, confira nosso post sobre o papel da educação continuada na carreira dos profissionais da área